10 anos de Estante da Sala

Nem acredito que esse dia chegou! No dia 5 de fevereiro de 2009 eu escrevi a primeira postagem nesse blog: era uma receita de massa de pizza. Eu estava formada há uns quatro meses, desempregada e imensamente frustrada. As coisas não estavam dando certo. Mas o blog veio como a possibilidade de escrever sobre coisas que me interessavam. O nome “Estante da Sala” veio da ideia de que esse móvel pode comportar livros, jogos de videogame e filmes, as coisas com as quais eu mais me envolvia na época. Mas eu também cozinhava (e cozinho) muito, então logo ele foi preenchido por receitas com fotos de passo a passo. Como o perfil foi mudando com o tempo, optei por arquivá-las uns anos depois. Teve, também, a fase em que eu quis fazer tutoriais de costura. Eles acabaram não saindo do papel, mas troquei-os por textos sobre figurinos de filmes (que depois me levaram a ter uma coluna sobre isso em outro site). Ainda tem um texto sobre jogo aqui e não escrevo sobre livros como queria, mas de vez em quando eles aparecem.

O primeiro texto sobre cinema no blog, em clima de Oscar foi sobre foi Milk- A Voz da Igualdade, logo no dia 8 de fevereiro. De certa forma isso foi o prenúncio do que viria a ser meus interesses ao longo dos anos: me tornei pesquisadora sobre gênero e diversidade, as questões queer viraram um ponto de interesse e o corpo se colocou como objeto de estudo que agora trago comigo para a vida.

A crítica, também, foi se tornando, com o passar dos anos, uma atividade profissional e deixando de ser passatempo. Ano passado isso culminou na minha entrada para a Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine).

Entre idas e vindas, fiquei períodos longos sem escrever e períodos em que escrevia todos os dias. Hoje escrevo menos do que gostaria, e leio menos, e costuro menos, enfim, o nome disso é vida adulta e doutorado, essa carreira que toma conta de todo o tempo possível. Talvez hoje eu possa dizer que o blog se tornou secundário, entre a vida acadêmica e o Feito por Elas, projeto que criei em 2016 e ao qual dedico tempo maior. Mas sempre vou ter aqui como meu espaço para escrever quando der vontade e um depositório de muita coisa que fiz ao longo dessa década. Mas o mais bacana é pensar no tanto de gente que eu já conheci por causa desse espaço. No que essa trajetória de 10 anos implicou na minha vida. Nas amizades, nas mudanças rumo, nos encontros possibilitados.

Como uma forma de comemorar essa data, trago a você que está lendo os 10 textos sobre figurino e as 9 críticas mais acessadas da história do blog (mas nem tanto, porque na verdade no meio ele mudou para .com e zerou as estatísticas) . Obrigada a todo mundo que ainda acessa esse espaço e me faz companhia nessa caminhada

Figurino e direção de arte:

10º Figurino: X-Men: Dias de um Futuro Esquecido

Figurino: Além da Escuridão – Star Trek: Brincando com as cores primárias

O Grande Hotel Budapeste, cores e perspectivas

Figurino: Oz, Mágico e Poderoso

Figurino: … E o Vento Levou

Figurino: Precisamos Falar Sobre o Kevin

Figurino: Cinderela

Personagens Femininas e Seus Figurinos em Filmes de Ação

Figurino: Malévola

Figurino: Frozen- Uma Aventura Congelante

Críticas e cinema:

10º Mulher Maravilha (Wonder Woman, 2017)

Alice Guy: Pioneira do Cinema

Mulheres-Ciborgue, ficção científica e alguns comentários

O Regresso (The Revenant, 2015)

A Bruxa (The Witch: A New-England Folktale, 2015)

O Duque de Burgundy (The Duke of Burgundy, 2015)

Os Oito Odiados (The Hateful Eight, 2015)

Respire (2014)

Ninfomaníaca: Volume 1 e Volume 2 (Nymphomaniac: Vol. I and Vol. II/ 2013)

Mãe! (Mother!, 2017)

Como despedida, deixo um texto que gosto muito: Por que sou levada a escrever?. Espero que volte em 2020 para comemorar.

Share