Alphaville (Alphaville, une étrange aventure de Lemmy Caution/ 1965)

Assistido em 30/05/2013

Time is like a circle which is endlessly described. The declining arc is the past. The inclining arc is the future.

(Alpha 60)

Ainda estou intrigada com esse filme. Não sei se devo entendê-lo como uma sátira, como um filme sério ou um misto dos dois. No mundo distópico retratado pelo filme, Alphaville é um local governado por Alpha 60, um computador-vilão no melhor estilo Hal-9000 Todas as emoções foram abolidas e mesmo algumas palavras começam a ser esquecidas. Conforme definido no filme, os pessoas vivem em uma tecnocracia, como cupins ou formigas. O herói (ou anti-herói) do filme, Lemmy Caution, é um americano que parece achar possível resolver tudo com tiros. Ele deve convencer o Professor von Braum, criador de Alpha 60 e conhecido anteriormente como Leonard Nosferatu, a desativar o computador. No meio do processo, conhece sua filha, Natacha von Braum (Anna Karina).

Embora seja um ficção científica por temática, o filme é rodado completamente na Paris da época, utilizando edifícios e automóveis contemporâneos, sem apelar para um visual futurista. A estética por vezes parece experimental, com o uso contante de letreiros de neon, especialmente marcando fórmulas físicas e até de filmagens com as cores em negativo. A mistura de algumas cenas com poesia geram um resultado bastante bonito. Por outro lado, por vezes o filme parece zombar do cinema de gênero, especialmente o americano. Os clichês do cinema noir, com o homem misterioso de sobretudo sempre com armas em mão, a mulher sedutora, os jogos de sombras, parecem frisar isso.  A voz de Alpha 60 é tão incômoda que não pode ter sido algo sem propósito. Provavelmente precisarei assisti-lo novamente um dia para captar melhor sua essência, embora poética e esteticamente já tenha sido uma experiência interessante.

Obs: Como universo distópico que é, com pessoas padronizadas e sem sentimentos, é irônico que esse nome tenha sido escolhido para certo empreendimento imobiliário aqui no Brasil.

AlphavillePoster

Share