16- Cloverfield (2008)

Assistido em: 20/01/2013


Esse foi um filme que deixei passar na época e já tinha ouvido todo tipo de opinião à respeito. Nele um grupo de amigos está reunido em uma festa quando o apartamento começa a tremer. À princípio imagina-se que é um terremoto, mas depois descobrem que um monstro invadiu Manhattan. A história é contada através do ponto de vista da câmera que um deles portava na festa e levou consigo ao longo de todos os acontecimentos. Por isso há muitas comparações com Bruxa de Blair, REC, Poder Sem Limites, mesmo com as diferenças de história. Sobre o filme, posso dizer que me senti acompanhando todos os momentos que os personagens passaram. O found footage serve bem e se insere dentro da história, ao contrário de em Poder Sem Limites. Muita gente reclamou na época sobre o fato de o monstro ser mostrado, alegando que isso tirou parte do suspense e da graça. Não tive problemas com isso e achei bem executado. Enfim, é um bom entretenimento.

Share

Isabel Wittmann

Catarinense, 33 anos, louca por bichos, feminista. Hoje mora em São Paulo, mas já passou uns anos no Amazonas. Crítica de cinema, doutoranda em Antropologia Social, podcaster e pesquisadora de gênero.