Filmes Assistidos em Janeiro

Janeiro demorou para passar, não é? Entre leituras e trabalho de campo para a dissertação, o mês rendeu bastante. Imagino que fevereiro não vá ser igual. Até que eu consegui ver filmes demais. Resolvi, como ano passado, assistir a uns filme pré-Código e também sigo com o projeto de ver um filme dirigido por mulher toda semana. A lista com todos os que vi para o projeto até agora está no letterboxd. Além disso vi alguns filmes do Oscar e uns que ficaram perdidos do ano passado. Notas subjetivas e pessoais, etc.

 

Desafio 52 Filmes Feitos por Mulheres:

Respire (2014) ★★★★½

The Wolfpack (2015) ★★★★

Aquário (Fish Tank, 2009) ★★★★

As Sufragistas (Suffragette, 2015) ★★★

 

Pré-Código e transição:

Horizonte Sombrio (Way Down East, 1920)★★★★

Diário de Uma Perdida (Tagebuch einer Verlorenen, 1929) ★★★★½

A Divorciada (The Divorcee, 1930) ★★★½

Sócios no Amor (Design for Living, 1932) ★★★★

Ladrão de Alcova (Trouble in Paradise, 1932) ★★★★★

A Vênus Loura (Blonde Venus, 1932) ★★★½

A Imperatriz Vermelha (The Scarlet Empress, 1934) ★★★★½

O Picolino (Top Hat, 1935) ★★★½

Ritmo Louco (Swing Time, 1936) ★★★★½

 

Oscar:

Os Oito Odiados (The Hateful Eight, 2015) ★★★½

Spotlight (2015) ★★★★

Carol (2015) ★★★★★

45 Anos (45 Years, 2015) ★★★★

Ponte dos Espiões (Bridge os Spies, 2015) ★★★★

Straight Outta Compton: A História do N.W.A. (Straight Outta Compton, 2015) ★★★

A Grande Aposta (The Big Short, 2015) ★★★½

 

Documentários:

The Hunting Ground (2015) ★★★★

O Riso dos Outros (2012) ★★★★

Trophy Kids: ★★★½

 

Demais:

Uma Cilada Para Roger Rabbit (Who Dramed Roger Rabbit, 1988) ★★★★½

Que Horas Ela Volta (2015) ★★★★½

O Fantástico Sr. Raposo (Fantastic Mr. Fox, 2009) ★★★★★

Julieta dos Espíritos (Giulietta degli spiriti, 1965) ★★★½

Assassinato no Expresso do Oriente (Murder on the Orient Express, 1974) ★★★½

No Rastro do Eldorado (1925) ★★★★

007 Contra Spectre (Spectre, 2015) ★★★

Chi-Raq (2015) ★★★

 

31 filmes assistidos

Share

Isabel Wittmann

Catarinense, 33 anos, louca por bichos, feminista. Hoje mora em São Paulo, mas já passou uns anos no Amazonas. Crítica de cinema, doutoranda em Antropologia Social, podcaster e pesquisadora de gênero.