Platoon (1986)

Assistido em 08/05/2013

O jovem Chris (Charlie Sheen) se voluntariou para ir à guerra do Vietnã. Ao chegar lá ele explica que fez isso porque só pobres vão para a guerra, porque um rico não pode ir também? Alguns colegas riem e falam que ele “é um idealista”. Sim, o diretor e roteirista, Oliver Stone, é um idealista. Tendo ele mesmo servido no Vietnã, também como voluntário, aquilo que viu nos é mostrado pelos olhos de Chris. A narrativa é episódica e os acontecimentos parecem servir apenas para ressaltar que nada daquilo fazia sentido: tudo era o caos. Os soldados têm que lidar com os nervos à flor da pele, as decisões que podem ferir determinados códigos de moralidade, as mortes estúpidas, a crueldade, matança e estupro. O elenco de apoio é bastante bom. O que incomoda é a mão pesada do diretor/roteirista nos pensamentos de Chris, narrados em voice over. As frases, especialmente na cena final, são extremamente moralistas e destoam do contexto. Para falar a verdade, embora o filme tenha uma poética própria, não gostei dele. O gênero de filme de guerra prejudica nesse sentido. Talvez venha a desenvolver esse gosto com o tempo. (Foi assim com Nascidos para Matar, pelo menos.)

Obs: Infelizmente para mim, o que deveria ser uma das cenas mais dramáticas do filme, foi arruinada por eu ter visto Trovão Tropical antes. Spoiler no vídeo:

Share