[43ª Mostra de São Paulo] Honeyland (2019)

Esta crítica faz parte da cobertura da 43ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, que ocorre entre 17 e 30 de outubro na cidade.

Roteirizado e dirigido por Tamara Kotevska e Ljubomir Stefanov, Honeyland é um documentário que mergulha na rotina de Hatidze, uma mulher que vive isolada em uma aldeia no interior da Macedônia, morando com sua mãe em uma casa de pedra. O filme, vencedor do Grande Prêmio do Júri da seção World Cinema de documentários no Festival de Sundance e o candidato da Macedônia do Norte a uma vaga no prêmio de Melhor Filme Estrangeiro no Oscar, destaca a forma de subsistência de sua protagonista, que cria abelhas e vende mel. Certo dia uma família composta por pai, mãe e sete filhos se muda para o terreno ao lado, com suas 150 vacas e o desejo de também coletar a substância açucarada. A dupla de diretores nos transporta para esse local, nos inserindo nos pequenos detalhes da vida frugal que sua protagonista leva. É curioso divagar como conseguiram encontrá-la para chegar a essa projeto.

Hatidze, a princípio, se alegra com a mudança. Ela fica feliz com o fato de eles serem turcos como ela, gosta da convivência com as crianças e ensina o manejo de abelhas. Mas logo fica claro que as diferenças no modo de vida são grandes demais. Ela se integra à natureza ao seu redor com extremo respeito, de uma forma quase simbiótica. A delicadeza não é reservada apenas ao seu cão e seus gatos, como geralmente se dão as relações humanas, que privilegiam animais domésticos. Ela ajuda uma tartaruga a sair de uma concavidade, usa pequenas folhas para retirar abelhas da água e evitar o seu afogamento, espanta lobos sem feri-los e, principalmente, cria as abelhas de uma maneira que não é predatória.

Sua técnica, ensinada aos vizinhos, consiste em deixá-las encher bem os favos, para só assim retirá-los; e sempre deixar pelo menos metade para elas, para que tenham o que comer e não matem uma à outra. Eles, por sua vez, logo se interessam pelo valor financeiro do mel coletado e, diante do interesse de compradores, não se furtam de colhê-lo muito cedo e de deixar muito pouco para a alimentação de suas produtoras. O valor monetário do mel não parece interessar tanto Hatidze, ainda que consiga sustentar seu modo de vida frugal com tranquilidade. Fica feliz em poder comprar bananas e uma tinta de cabelo e ainda ganhar um leque para sua mãe após uma conversa amigável que entabula com um vendedor. A brutalidade das ações dos vizinhos se estende para a relação diária com as vacas e também entre os humanos, que se agridem verbalmente com constância. Já ela por sua vez, cuida de sua mãe idosa e, embora aconteçam desentendimentos, o carinho está sempre presente.

Com sua camisa amarela cor de mel e sua saia floral, junto com o lenço colorido amarrado aos cabelo, Hatidze é uma figura marcante, e a fotografia a captura integrada ao espaço natural, seja aparecendo minúscula na imensidão do campo, seja de perfil no lindo céu do entardecer, com as cores do céu marcadas contra o negrume do contorno. Ela é uma figura forte, ainda que sua força venha justamente de sua brandura. Honeyland é um documentário contemplativo e imersivo cuja beleza, em grande medida, provém de sua protagonista.

Nota: 4 de 5 estrelas
Selo "Approved Bechdel Wallace Test"
Share

[43ª Mostra de São Paulo] Sugestões de filmes

Estamos entrando na segunda semana de Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Se você não sabe ainda o que assistir, separei alguns filmes dirigidos, roteirizados ou protagonizados por mulheres como sugestão. Confira a lista:

Babenco- Alguém Tem Que Ouvir o Coração e Dizer Parou (2019), dirigido por Barbara Paz

Vencedor do prêmio de melhor documentário sobre cinema no Festival de Veneza, trata da vida do cineasta Hector Babenco.

Quando será exibido:

Sexta-feira, 25/10 CINEARTE 1 19:15

Cães do Espaço (Space Dogs, 2018), dirigido por Elsa Kremser e Levin Peter

Documentário que traça um paralelo entre os animais utilizados durante a corrida espacial e os cachorros que vivem hoje nas ruas de Moscou.

Quando será exibido:

Terça-feira, 22/10 SESC BELENZINHO 19:00

Quarta-feira, 30/10 ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA – FREI CANECA 3
19:10

Uma Colônia (Une Colonie, 2018), dirigido por Geneviève Dulude-De Celles

Filme de crescimento em que uma adolescente tímida que começa o ensino médio fica amiga de um jovem indígena em sua classe. Vencedor do Urso de Cristal de melhor filme na seção Generation Kplus no Festival de Berlim.

Quando será exibido:

Segunda-feira, 21/10 INSTITUTO CPFL – SALA UMUARAMA 19:00

Sábado, 26/10 RESERVA CULTURAL – SALA 1 20:20

Deus é Mulher e Seu Nome é Petúnia (Gospod Postoi, Imeto I` E Petrunja, 2019), dirigido por Teona Strugar Mitevska

Uma mulher ousa participar de um ritual religioso do qual apenas homens tomam parte. Vencedor do Prêmio do Júri Ecumênico no Festival de Berlim.

Quando será exibido:

Sexta-feira, 25/10 PETRA BELAS ARTES SL 1 VILLA LOBOS 21:30

Sábado, 26/10 CINESALA 19:40

Domingo, 27/10 ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA – AUGUSTA SALA 1 15:40

Segunda-feira, 28/10 CINESESC 15:50

Terça-feira, 29/10 ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA – FREI CANECA 3 17:00

Dente de Leite (Babyteeth, 2019), dirigido por Shannon Murphy

Uma jovem doente resolve viver a vida do seu jeito, para desespero dos seus pais, uma vez que não tem nada a perder.

Quando será exibido:

Segunda-feira, 21/10 CINEARTE 1 16:20

Terça-feira, 22/10 ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA – FREI CANECA 1 19:40

Sexta-feira, 25/10 CINESALA 17:50

Quarta-feira, 30/10 CINESESC 20:15

Honeyland (2018), dirigido por Tamara Kotevska e Ljubomir Stefanov

Documentário sobre Hatidze, uma mulher de mais de cinquenta anos que mora isolada na Macedônia e cria abelhas para produção de mel. Vencedor do Grande Prêmio do Júri da seção World Cinema de documentários no Festival de Sundance. Submissão da Macedônia do Norte para concorrer a uma vaga no prêmio de Melhor Filme Estrangeiro no Oscar.

Quando será exibido:

Segunda-feira, 21/10 CINESALA 17:45

Quarta-feira, 23/10 CINESESC 22:15

Sábado, 26/10 ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA – FREI CANECA 1 20:15

La Mala Noche (2019), dirigido por Gabriela Calvache

Dana é uma mulher que se prostitui para sobreviver, em virtude da doença de sua filha, mas um acontecimento inesperado faz tudo mudar. Submissão do Equador para concorrer a uma vaga no prêmio de Melhor Filme Estrangeiro no Oscar.

Quando será exibido:

Quarta-feira, 23/10 ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA – FREI CANECA 2 22:00

Merata: Como Minha Mãe Descolonizou a Tela (Merata: How Mum Decolonised the Screen, 2019)]

Documentário sobre a cineasta e documentarista Merata Mita, primeira mulher maori a dirigir longas metragens na Nova Zelândia.

Quando será exibido:

Sábado, 26/10 CINESALA 17:50

Quarta-feira, 30/10 ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA – FREI CANECA 2 15:50

Os Olhos de Cabul (Les Hirondelles de Kaboul, 2019), dirigido por Zabou Breitman

Animação baseada no livro de Yasmina Khadra, retrata um casal de enamorados em Cabul em 1998.

Quando será exibido:

Domingo, 27/10 ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA – FREI CANECA 2 22:10

Segunda-feira, 28/10 CINEARTE 1 14:30

Terça-feira, 29/10 PETRA BELAS ARTES SL 1 VILLA LOBOS 17:30

Quarta-feira, 30/10 CINESESC 16:00

Papicha (2018), dirigido por Mounia Maddour

Nedjema e suas amigas tentam a todo custo ter uma vida normal em meio a ascensão do conservadorismo e das imposições religiosas na guerra civil no final dos anos 1990. Submissão da Argélia para concorrer a uma vaga no prêmio de Melhor Filme Estrangeiro no Oscar.

Quando será exibido:

Terça-feira, 22/10 ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA – FREI CANECA 2 17:30

Sábado, 26/10 ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA – AUGUSTA SALA 1 14:00

Segunda-feira, 28/10 CINESALA 19:45

System Crasher (2019), dirigido por Nora Fingscheidt

Benni é uma menina raivosa e violenta, com a qual nenhum profissional consegue lidar. Vencedor do Prêmio Alfred Bauer no Festival de Berlim. Submissão da Alemanha para concorrer a uma vaga no prêmio de Melhor Filme Estrangeiro no Oscar.

Quando será exibido:

Quinta-feira, 24/10 ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA – AUGUSTA SALA 1 19:40

Sábado, 26/10 RESERVA CULTURAL – SALA 1 15:50

Teerã Cidade do Amor (Tehran: City of Love, 2018), escrito por Maryam Najafi e Ali Jaberansari

Três estranhos que vivem sua solidão na cidade de Teerã, em uma mistura de drama com elementos de comédia romântica.

Quando será exibido:

Sexta-feira, 25/10 ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA – AUGUSTA ANEXO 4 19:45

Segunda-feira, 28/10 ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA – AUGUSTA SALA 1 14:00

Quarta-feira, 30/10 CINESALA 21:40

Share