Tudo o Que o Céu Permite (All That Heaven Allows/ 1955)

Assistido em 05/03/2013

(Obs: para o curso The Language of Hollywood: Storytelling, Sound, and Color; da Wesleyan University, disponível em coursera.org)

Em meados dos anos 50 o Technicolor estava perdendo o monopólio na produção de filmes coloridos e consequentemente o custo estava diminuindo. Com isso os estúdios começaram também a produzir em cores filmes que não feitos para se tornarem blockbuster. Muitos dramas domésticos voltados para o público feminino foram filmados. É o caso de Tudo que o Céu Permite. Trata-se de um belo filme, sobre uma viúva cujas filhos já estão na universidade e que se apaixona pelo responsável pelas podas de suas árvores (interpretado pelo charmosíssimo Rock Hudson). Ao assumir o romance, ela tem que lidar com o preconceito da sociedade, por namorar com um homem mais jovem e de outra classe social. As cores no filme impressionam bastante e o tempo toda parecem destacar a natureza do entorno, marcando a passagem do tempo pelas estações do ano. O filme, apesar de meloso, é bastante bonito.

Share

Isabel Wittmann

Catarinense, 33 anos, louca por bichos, feminista. Hoje mora em São Paulo, mas já passou uns anos no Amazonas. Crítica de cinema, doutoranda em Antropologia Social, podcaster e pesquisadora de gênero.