Estante da Sala

[44ª Mostra de São Paulo] Mamãe, Mamãe, Mamãe

Esta crítica faz parte da cobertura da 44ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, que ocorre entre 22 de outubro e 4 de novembro em formato online. Esse é primeiro longa escrito e dirigido pela cineasta Sol Berruezo Pichon-Riviére e, para o bem e para o mal, transparece. Em Mamãe, Mamãe, Mamãe (Mamá, Mamá, Mamá, 2020) há a vontade de abarcar um mundo de sentimentos e a incerteza sobre como fazê-lo. Mas isso não impede que a obra seja prazerosa. O filme, ganhador de uma Menção Especial do Júri da seção Generation Kplus no Festival de Berlim, começa com

[44ª Mostra de São Paulo] O Problema de Nascer

Esta crítica faz parte da cobertura da 44ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, que ocorre entre 22 de outubro e 4 de novembro em formato online. Elli (Lena Watson) é uma criança como outra qualquer, que anda pela floresta e sente o cheiro do mato e o chão molhado, no verão que começa. É também a responsável pela narração em off, que externa suas sensações. Ela pega um gafanhoto e o sente pular em sua mão e fugir. Está quente e ela e seu pai ficaram o dia todo fora de casa e a noite toda acordados e

[44ª Mostra de São Paulo] Cozinhar F*der Matar

Esta crítica faz parte da cobertura da 44ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, que ocorre entre 22 de outubro e 4 de novembro em formato online. O inusitado Cozinhar F*der Matar (Cook F**K Kill, 2019) começa com um coro de teatro grego composto apenas por mulheres, que conta, em uma espécie jogral, uma história sobre violência. Com isso o filme já escancara sua estrutura de tragédia (não sem uma dose de humor ácido), marcando a inevitabilidade da morte que recairá sobre o suposto herói. Com roteiro e direção de Mira Fornay, ele retrata o o motorista Jaroslav (Jaroslav

[44ª Mostra de São Paulo] Mães de Verdade

Esta crítica faz parte da cobertura da 44ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, que ocorre entre 22 de outubro e 4 de novembro em formato online. Depois dos irregulares Esplendor (Hikari, 2017) e Vision (2018), a premiada cineasta japonesa Naomi Kawase retoma um cinema tocante e poético com Mães de Verdade (Asa ga Kuru, 2020). O filme é baseado no romance de 2015 de Mizuki Tsujimura e a linguagem acessível, que já aparecia no doce Sabor da Vida (An, 2015), é utilizada em uma narrativa que reflete sobre a maternidade e suas muitas faces. Logo na sequência de

#52FilmsBy Women Ano 5: a Conclusão

Esse ano está tão atípico que quase não percebi que hoje e dia 30 de setembro e, assim completei o quinto ano do desafio #52FilmsByWomen. A primeira vez que aderi ao desafio foi em 1º de outubro de 2016 e renovei meu compromisso a cada 1º de outubro seguinte. O desafio consiste em assistir a um filme dirigido por uma mulher por semana durante um ano, totalizando 52. Na época eu queria me dedicar ativamente a conhecer mais trabalhos de mulheres na direção. Hoje não preciso me esforçar para consegui atingir a meta, porque com a criação do Feito por Elas

Instinto (Instinct, 2019)

Estreia na direção da atriz holandesa Halina Reijn, Instinto conta com argumento dela mesma e roteiro de Esther Gerritsen. A trama aborda a psicóloga Nicoline (Carice van Houten), que recém começou a trabalhar em um hospital que trata da saúde mental de criminosos. Experiente no ramo, ela é apresentada como uma pessoa que treina outras para esse tipo de atividade, mas não tem intenção de se fixar em um emprego específico. O caso para o qual foi alocada é do agressor sexual em série Idris (Marwan Kenzari), que está prestes a receber autorização para passear sem acompanhamento devido ao seu

Retrato de uma Jovem em Chamas

Mitos eurídiceque foi ao infernomorreu por amore morreu duas vezes(quantas vezes uma pessoapode morrer?quantas vezesna mesma vida?)as cenasperdidas do passadomitologia pessoalda época que foi inverno(aqui dentro)o espelho nada dizse quebra e fogediante do espectadorcacos Em sua filmografia, a cineasta francesa Céline Sciamma é afeita às questões de gênero, de performatividade, de corpo e de sexualidade. Nesse, que é seu primeiro drama histórico, não foge desses temas, explorando-os, mais uma vez, em um recorte de grande intimidade. Héloïse (Adèle Haenel) é uma jovem que será oferecida em casamento para um nobre italiano. Sua irmã mais velha, que morreu em circunstâncias que