Estante da Sala

Melhores filmes de 2017

Primeiramente devo dizer que falhei miseravelmente em fazer uma lista de melhores esse ano. Primeiro porque minha repescagem de dezembro foi pro espaço, mais por preguiça do que por qualquer outra razão: quando acabei meus compromissos principais, estava tão cansada que não quis fazer nada remotamente parecido com trabalho. Depois, eu tive um punhadinho de filmes que amei, mais um tanto que eu gostei bem. Só que esses segundo são muitos e não os destaco o suficiente para fazer questão de incluí-los ou retirá-los. Enfim, em meio a essa bagunça, já tive entre 23 e 32 filmes listados (quando geralmente

A Criada (Ah-ga-ssi, 2016)

Perverso e delicioso, A Criada, novo filme dirigido por Park Chan-Wook, se desenrola em camadas, brincando inescrupulosamente com as expectativas de quem o assiste. Adaptado da novela Fingersmith, de Sarah Waters, trata da história de um golpista que se passa por um conde chamada Fujiwara (Jung-woo Ha) para casar com a senhorita Hideko (Min-hee Kim), uma jovem herdeira, com a ajuda de Sook-Hee (Tae-ri Kim), uma batedora de carteiras que posiciona como a criada pessoal do título e por quem a primeira se apaixona. A história original se passa no contexto do rígido sistema de classes vitoriano, e aqui é

Figurino: Oldboy- Uso simbólico de cores

Texto originalmente publicado na coluna Vestindo o Filme em 10/12/2014. “Apesar de não ser mais que um monstro não tenho, também, direito de viver?” Um jovem clássico do cinema coreano, Oldboy, dirigido por Chan-wook Park, possui o visual marcante e com elementos estrategicamente controlados característico do diretor. O figurino fica a cargo da então estreante Sang-gyeong Jo, e essa parceria se repetiu em duas obras posteriores: Lady Vingança e Sede de Sangue. O uso de cores no filme é feito de forma estilizada e esquemática. Assim como em Segredos de Sangue (cuja análise pode ser lida aqui), as cores são

Figurino: Segredos de Sangue – Uso de cores e imagético poderoso

Texto originalmente publicado na coluna Vestindo o Filme em 13/03/2014. Às vezes você precisa fazer algo ruim para se impedir de fazer algo pior. O título original de Segredos de Sangue, de 2013,  é Stoker. Tal nome é uma clara referência a Bram Stoker, autor do clássico Drácula, e entrega uma pista: embora eles não se façam presentes, pode-se dizer que é uma história clássica de vampiros, retratando a solidão, a incompreensão da própria natureza e fazendo relação entre sedução e perigo. Em seu primeiro filme de língua inglesa, o diretor Chan-wook Park constrói um imagético poderoso, com uso característico de cores

Figurino: Oldboy (2003)

Esse será um comentário breve sobre o figurino dos personagens principais de Oldboy. Já havia comentado algumas dessas questões no primeiro post, com os comentários gerais do filme, mas acabei achando interessante complementá-lo mais detalhadamente e com uso de imagens. Oh Dae-su, o protagonista, é liberto de seu cativeiro após 15 anos, dentro de uma mala com apenas com seus diários e a roupa do corpo. A roupa consiste em calça social, camisa e blazer, todos pretos. Após tantos anos que lhe foram roubados, sem a possibilidade de desenvolver sua vida, ele retorna a ela com uma roupa que não demonstra

Oldboy (Oldeuboi/ 2003)

Assistido em 22/07/2013 Resolvi assistir a esse filme sul coreano, dirigido por Chan-wook Park, que já estava na minha listinha há tempos. Um pouco da motivação deve-se às notícias sobre o seu remake americano. Não deveria ter esperado dez ano por isso: meu desejo nesse momento é falar a todos para assisti-lo. O mais estranho de saber a respeito do remake é que esse é o tipo de filme que só é possível fora de Hollywood. A narrativa é visceral e a violência é extrema, mas acontece majoritariamente fora das câmeras e parece justificada na trama. Ainda assim o desconforto é intenso.