Estante da Sala

Figurino: Lovelace

Texto originalmente publicado na coluna Vestindo o Filme em 25/09/2013. Cinebiografias geralmente demandam trabalhos intensos de recriação de período por parte da equipe de design de produção. O figurino fica aí incluído e, além da recriação da época através de roupas com cortes familiares ao expectador, por vezes é necessário refazer peças específicas utilizadas pela pessoa retratada. Esse ano de 2013 está repleto de filmes do gênero, começando com Behind the Candelabra, Jobs e Rush, até os ainda não lançados Grace of Monaco e Diana. Lovelace é mais um deles: dirigido por Rob Epstein e Jeffrey Friedman, é baseado na

É o Fim (This is the End/ 2013)

Assistido em 12/10/2013 Teoricamente esse filme é uma comédia, escrita e dirigida por Seth Rogen. Não gosto dos filmes dele nem do Judd Apatow, que costumo colocar na mesma categoria de comediantes excessivamente elogiados, pouco cientes de seus privilégios de homem-branco-heterossexual, um tanto quanto infantis e que definitivamente não sabem escrever mulheres. Resumindo, são aqueles que escrevem comédias para os caras que moram com a mãe depois dos trinta. É o Fim tem a proposta de ser uma comédia sobre o fim dos tempos, em que os atores interpretam a si mesmos: uma ideia boa que foi desperdiçada. Tudo começa

Figurino: Oz, Mágico e Poderoso

Originalmente publicado em 23/07/2013 no Cinema em Cena. Aviso: Esse texto contém revelações de detalhes da trama do filme Dirigido por Sam Raimi, Oz: Mágico e Poderoso (Oz- The Great and Poweful/ 2013) funciona como um prólogo ao clássico O Mágico de Oz, de 1939. Explorando livremente o universo criado pelo autor L. Frank Braum, o filme conta como o mágico Oscar (James Franco) chegou à Cidade das Esmeralda, capital do reino de Oz, bem como os acontecimentos posteriores à sua chegada. O figurino, criado por Gary Jones em parceria com o ilustrador Michael Kutsche (responsável pelas ilustrações desse texto),

Oz- Mágico e Poderoso (Oz the Great and Powerfull/2013)

Assistido em 02/07/2013 Assistir esse filme com O Mágico de Oz original torna a comparação cruel. Não é que seja um filme ruim, mas está longe de ter o encanto do outro. Oscar (James Franco) é um mágico no Kansas, conhecido como Oz em suas apresentações. Sedutor, ao fugir de um marido enraivecido e tomar um balão, se vê pego em uma tempestado que o leva diretamente a Oz. Lá descobre que há uma profecia de um grande mágico com o nome da terra que chegaria para se tornar rei e libertar a população. Empolgado com as riquezas que se