Tootsie (1982)

Assistido em 14/07/2013

Semana passada circulou pela internet um vídeo em que Dustin Hoffman dá um depoimento incrível sobre Tootsie, falando sobre os padrões de beleza esperados das mulheres e que ele se via como uma mulher incrível no papel, mas não bonita no jeito convencional. E chorou ao pensar em todas as mulheres interessantes com quem deixou de conversar por não estarem dentro desses padrões. Depois disso, eu precisava ver esse filme.

Acabei me deparando com um filme ao mesmo tempo absurdo e ótimo. Dustin Hoffman é Michael, um ator egocêntrico que faz workshops de atuação, mas não consegue papéis para si. Sempre tenta mudar os textos e discorda dos diretores, gerando conflitos. Mas aparece uma oportunidade de fazer um teste para um papel feminino em uma telenovela. Ele aparece na audição como Dorothy e ganha o papel. E como Dorothy ele passa a ver o mundo com outros olhos, a perceber seus privilégios e levantar bandeiras. Aliás, essa parte é interessante: o filme o tempo inteiro coloca mensagens feministas, sem que isso o deixe com cara de pregação.

A parte do “absurdo” diz respeito ao fato que dificilmente alguém não perceberia que Dorothy não era mulher. Mas as roupas conservadoras da classe média dos anos 80, com suas saias mais longas, babados e laços tratam de disfarçar bem esse problema. Até porque nesse contexto temos que ter uma suspensão de descrença para que a história funcione e a interpretação de Dustin Hoffman é tão impressionante que isso não é difícil.

A dinâmica entre os personagens funciona. Bill Murray aqui aparece em um papel menor: o colega de apartamento de Michael que observa, perplexo, o amigo mergulhar cada vez mais fundo na persona de Dorothy. Jessica Lange é Julie, a atriz com papel secundário na novela que é mãe solteira e namora com o diretor. O próprio diretor do filme, Sidney Pollack, aparece em cena como agente de Michael. Minha única crítica seria que todas as mulheres parecem excessivamente apáticas e desprovidas de agência. A única exceção mesmo é Dorothy, que é uma incentivadora e que acaba funcionando à parte de Michael.

Tramas posteriores parecem ter se inspirado nele, como Uma Babá Quase Perfeita e Do Que as Mulheres Gostam, mas nem se comparam ao resultado final desse filme.

tootsie

Share