Smash

Ano passado, quando Smash estreou, fãs do gênero musical se empolgaram com a possibilidade de um bom seriado de televisão que bem o representasse. A série deveria contar os bastidores da montagem de uma produção da Broadway sobre a icônica Marilyn Monroe, incluindo a composição das músicas, os ensaios e a escolha das protagonistas. A briga pelo papel principal ficaria entre Ivy (Megan Hilty) e Karen (Katherine McPhee). Ivy é a ambiciosa atriz com anos de experiência, que apesar do talento  nunca conseguiu sair do coro e conseguir um papel de destaque, enquanto Karen é a novata ingênua que vem do interior tentar a vida em Nova York. O episódio piloto fazia a série parecer promissora.

Acontece que daí para frente houve uma sucessão de decisões ruins no desenvolvimento da história: tramas paralelas absolutamente desinteressantes, atores ruins e personagens coadjuvantes irritantes. Ao final da primeira temporada acredito que muitos se perguntaram onde havia ido parar o potencial da série. Ao começar a segunda, há a boa notícia de que todos os personagens odiados pelos expectadores haviam sido limados da história. Mas em seu lugar, trouxeram outros também irrelevantes e a história se desviou do musical sobre Marilyn para a produção de um segundo musical sobre amores proibidos e busca pela fama (?). A qualidade do que víamos não melhorou e ontem à noite finalmente assistimos ao episódio duplo final da série, após a decisão da emissora de cancelar a série. E foi um novelão: indicações e premiações do Tony para praticamente todo o elenco e equipe dos musicais fictícios, relacionamentos reatados e até gravidez. Ao menos podemos dizer que os números musicais nunca perderam a qualidade.

Um dos grandes problemas para comprar a história desde o início  foi justamente a rivalidade entre Karen e Ivy, já a segunda é visivelmente mais talentosa que a primeira, assim como sua intérprete Megan Hilty. E ela deveria ser a vilã da história (e assim o foi pela primeira temporada). Já Katherine McPhee, vencedora de algum American Idol, não tem voz para musical de teatro e não imprimia carisma algum a sua personagem. Uma pena que uma série que poderia ter sido tão divertida ser vítima das decisões equivocadas de seus realizadores.

Share
Category: Televisão | Tags: , ,