Alice Guy: Pioneira do Cinema

alice guy

Onde estão as mulheres invisibilizadas pela história? Muitas das mulheres que contribuíram para o avanço de artes e ciências são pouco lembradas pela historiografia. É o caso de Alice Guy-Blaché (1873- 1968), uma pioneira do cinema enquanto arte.

A maior parte de todos os filmes produzidos nos primeiros anos do cinema perderam-se irremediavelmente, por falta de conservação das películas. Depois de sua invenção pelos irmãos Lumiére, ele rapidamente se tornou um atrativo de feiras populares e um artefato de uso científico, utilizado pela Antropologia Visual. O filme era usado para registrar cenas do cotidiano de forma documental, como a chegada de um trem à estação ou trabalhadores saindo de uma fábrica.

Alice Guy foi responsável pelo que hoje é considerado o primeiro filme com narrativa ficcional, chamado A Fada do Repolho, de 1896, já fazendo uso de efeitos visuais.

Em 1906 dirigiu O Nascimento, a Vida e Morte de Cristo, uma superprodução com mais de trezentos figurantes e 33 minutos, uma duração impressionante para a época.

Francesa de origem, em 1910 migrou para os Estados Unidos onde fundou seu próprio estúdio, chamado Solax. Além de experimentar com o uso de cores, tingindo seus filmes, Guy criou filmes com som sincronizado, usando o Chronophone patenteado por Léon Gaumont em 1902. O som era gravado em disco e a performance era dublada durante a filmagem, criando uma espécie de videoclipe. Ambas as técnicas podem ser conferidas no filme Felix Mayol performs Indiscreet Questions. 

No filme As Consequências do Feminismo (1906) Guy ironiza papéis de gênero rígidos, mostrando como seria a sociedade se as mulheres de então se comportassem como os homens e vice-versa.

Alice Guy percebeu o potencial narrativo para o que até então era utilizado de forma documental. Não só isso, ela percebeu que o cinema possibilitava explorações artísticas maiores e experimentou com elas. Até 1922, quando parou de escrever, produzir e dirigir, estima-se que Alice Guy tenha feito em torno de mil filmes, dos quais cerca de trezentos sobreviveram. É uma pena que seu nome, junto com o tantas outras mulheres pioneiras em suas áreas, não seja mais lembrado.

 

Share