Boyhood- Da Infância à Juventude (Boyhood, 2014)

O diretor Richard Linklater já demonstrou, na trilogia composta por Antes do Amanhacer, Antes do Pôr-do-Sol e Antes da Meia Noite, que sabe fazer seus personagens crescerem diante da câmera de maneira orgânica, como se realmente tivessem criado vida. Boyhood foi um projeto que levou doze ano para ser realizado, com as pessoas envolvidas se encontrando por poucos dias a cada ano. Trata-se da história de Mason (Ellar Coltrane), um menino de 6 anos, até sua ida à faculdade, aos 18. Mason é acompanhado por sua irmã mais velha, Samantha (Lorelei Linklater), sua mãe (Patricia Arquette) e seu pai (Ethan Hawke). A passagem do tempo se dá de forma natural e o filme não capta os grandes momentos da vida do garoto: ele se passa justamente nos intervalos, no cotidiano, nas pequenas coisas por vezes triviais que as pessoas guardam na memória. Em certo momento a mãe de Mason chora e reflete sobre como a vida passou rápido, citando pontos marcantes e dizendo que deveria ser mais do que isso. Mas a história deixa claro: é, sim, mais do que isso, mas às vezes custamos a perceber e só o fazemos quando olhamos em retrospecto.

Assistir a esse filme é ver todos os personagens crescerem, não só fisicamente, mas também emocionalmente. Se Mason se torna um adolescente um tanto quanto misantropo, seu pai encontra maturidade para lidar com sua própria vida e sua mãe, segurança e confiança em si mesma. Ninguém é perfeito na história: todos se parecem com pessoas reais e reagem de maneiras falhas, mas como pessoas reais, são interessantes e cativantes.

A trilha sonora é um dos pontos altos. Como em Jovens, Loucos e Rebeldes e Escola do Rock, Linklater consegue escolher músicas que reflitam ao mesmo tempo o espírito da época e o momento dos personagens.

Boyhood não é um filme que tenha grandes momentos explosivos de emoção. Não é um drama intenso. É um filme minimalista, que emociona com sutileza e nos leva a refletir sobre nossas próprias vidas espelhadas na trama e cada fase desse crescimento, que não para ao dezoito anos.

boyhood

Share